Formação administrativa do município de Iperó

Formação administrativa
Localização de Iperó e cidades vizinhas dentro do Estado. (Hugo Augusto Rodrigues)

1938 – Passa de Campo Largo para Boituva

O decreto-lei federal 311 (2 de março de 1938) disciplinou a divisão territorial do Brasil e vedou que dois ou mais locais em um Estado tivessem o mesmo nome. O Conselho Nacional de Geografia, antecessor do IBGE, ficou encarregado de definir quais locais teriam que modificar os nomes.

Na mesma época, o povoado de Santo Antonio passou a pertencer oficialmente a Boituva, através do decreto-lei estadual 9.775 (30 de novembro de 1938), desvinculando-se de Campo Largo (atual Araçoiaba da Serra). Uma carta enviada por João Baptista da Costa (então prefeito de Campo Largo) a Samuel Domingues dos Santos confirmou a mudança.

Em 1939 foi criado o “Distrito Policial de Santo Antonio”, já no município de Boituva, cujos limites eram além-rio Sorocaba.

 

1943 – Muda o nome de Santo Antonio para Iperó

Um novo decreto-lei federal, sendo o 5.901 (21 de outubro de 1943), disciplinou as “revisões quinquenais” que deveriam ser feitas em cada Estado, estendendo o critério de igualdade de nomes. Assim, o objetivo era resolver os problemas da denominação de “dois locais em um Estado” e posterior “eliminação, no País, da repetição de topônimos de cidades e vilas”.

Seguindo essas legislações, no fim de 1943 o nome de Santo Antonio precisou ser mudado, pois já existia outra Santo Antonio no Rio Grande do Sul (de acordo com a “Revista do IGG”). E o nome foi alterado para Iperó.

 

1944 – Distrito de Iperó

No ano seguinte, 1944, Iperó foi elevado à categoria de distrito, através do decreto-lei estadual 14.334 (30 de novembro de 1944). Diz o decreto, que “o distrito de Iperó foi criado com sede no povoado de Santo Antonio e com terras desmembradas dos distritos das sedes dos municípios de Boituva e Araçoiaba da Serra”.

Nas leis estaduais 233 (24 de dezembro de 1948) e 2.456 (30 de dezembro de 1953), que determinaram a divisão administrativa e territorial do Estado para os períodos de 1949 a 1953 e 1954 a 1958, respectivamente, Iperó continua vinculado ao município de Boituva.

E assim permanece na divisão territorial determinada pela lei estadual 5.285, de 18 de fevereiro de 1959, para o período de 1959 a 1963. Todas essas leis mostravam os limites entre Iperó e Boituva além-rio Sorocaba.

 

1964 – Município de Iperó

O município de Iperó foi criado pela lei estadual 8.092 (28 de fevereiro de 1964), desmembrado de Boituva e Araçoiaba da Serra. Durante o processo da emancipação, Iperó perdeu grande parte das terras que pertenciam ao antigo distrito: a divisa passou a ser o rio Sorocaba. Em contrapartida foi anexado o distrito de Bacaetava, que até então pertencia a Araçoiaba da Serra.

Constituído por dois distritos (Iperó e Bacaetava), a instalação do município realizou-se em 21 de março de 1965. Nas divisões territoriais de 31 de dezembro de 1968 e 15 de julho de 1999, conforme consta no site do IBGE, permanecem as divisas da mesma forma.