“Homenagem a Iperó”

Homenagem a Iperó
Represa do rio Ipanema na Floresta Nacional de Ipanema. (Luciane Siviero)

por Izildinha Domingues dos Santos Folim

Seus fundadores desbravaram suas matas, fizeram o lugar ideal para viver.
Suas árvores cobertas de flores; o amarelo, o roxo do ipê.
Do seu morro brotam rios, cascatas e minérios; progresso do amanhã.
Em suas terras, o que se planta colhe; a cana, o arroz, feijão e algodão.
As manhãs são perfumadas pela relva. O açúcar preto adoçava o café.
O  céu é tão límpido, que quase se toca nas estrelas.
Povo festeiro e forte na sua fé:
Santo Antonio era seu nome, padroeiro hoje o é.
A viola alegrava os terreiros com a chegada dos tropeiros.
Jundiacanga foi sua primeira escola;
A estrada de ferro despertou-a para o mundo.
Maria-fumaça vai e vem; lperó cresce também.
E lpanema com seu portão monumental, homenagem à família imperial.
Tu és o berço da siderurgia nacional.
lperó, centro da tecnologia, contribui, com a independência e a soberania.
Iperó, siderurgia outrora, tecnologia agora.