“Lembranças da minha terra”

Lembranças da minha terra
Pitangueira. (Imagem da internet - 99 Graus)

por Silvana Mello

Lembranças da minha terra,
Meu povo querido, saudades!
De cima do meu pé de pitanga avistava uma casa branca.
Pensava eu, como criança: Será quem mora lá?
No meu coração imaginava que lá haveria de ter crianças,
E que de longe me observavam também.

Passava horas sentada no pé de pitanga olhando a casa.
Hoje, depois de tantos anos, ainda consigo fechar os olhos e me vem lembranças da minha terra.
Como foi doce a minha infância querida, de onde pequena saí,
Mas carrego comigo o cheiro da terra, o verde das plantas, meu pé de pitanga, a casa branca,
A estação, o apito do trem.

Corre o coração, dispara, a alegria não tem fim… chegou o meu bem!
Isso é saudade desse tempo que não volta mais.

Mas está aqui registrado no coração de todos a quem Iperó encantou e continua encantando com sua história e beleza.

Obrigada, terra querida.

Saudades.