“Museu de tradições”

Museu de tradições
Crianças pulando corda. (Imagem da internet - Dia de aprender brincando)

por Adroaldo Jacques Eid – 14 de abril de 1970
“Composição inspirada na minha infância, repleta de coisas que, infelizmente, a vida moderna ceifou.”

Vem comigo, meu filho,
Desligue a televisão.
Dê uns passos para trais,
Pra ver o que não existe mais,
No museu da tradição.

Vê aquelas meninas sapecas!
Com a força de suas munhecas,
Elas batem palma na peteca,
Pra ela não cair no chão…

Olha ali aquela turminha!
São meninos jogando bolinha,
Moleques virando figurinha,
Com os craques da nossa Seleção.

Esse quadro, faiz tempo, saiu de moda:
São crianças brincando de roda,
Mocinhas pulando corda
E marmanjos soltando pião…

Veja o pescador remando o barco,
O caçador de rã atolado no charco,
O garotinho guiando o seu arco,
Levantando poeira no estradão…

Aquilo é uma casinha de barro!
O caipira sentado naquele carro,
Do seu cachimbo tira o sarro
Com a unha do dedão…

Ouça o apito da maria-fumaça!
Toda vez em que ela passa,
Enche meu sertão de graça
E pinta o céu com seu carvão!

Como é lindo o luar cor de prata!
Onde os boêmios, tocando serenata,
Chamam na janela a moça ingrata,
Que machucou o seu coração…