O crescimento da Santo Antonio ferroviária

Crescimento de Santo Antonio
Cabine de Iperó, inaugurada em 30 de julho de 1934, onde eram efetuadas todas as mudanças de linha no pátio local. Na fachada havia a inscrição "SANTO ANTONIO - CABINA". (Arquivo Thomas Corrêa)

Desenvolvimento do povoado

Para se ter ideia do rápido crescimento de Santo Antonio “novo”, basta vermos a quantidade de obras realizadas pela Sorocabana entre 1933 e 1936: construção de desvio para lenha; construção de 20 casas para empregados; instalação de luz nas casas novas para os empregados; construção de 20 casas para pessoal da tração; construção de um grupo de quatro casas turma; construção de cinco grupos de casas e pernoite do pessoal do transporte, construção de casa para chefe de Depósito; construção de cinco grupos de casas para o pessoal do tráfego; construção de 10 grupos de duas casas para a “4ª Divisão”; melhoramento da linha entre Santo Antonio e Rubião Júnior; substituição de trilhos na linha tronco entre Santo Antonio e Rubião Júnior; iluminação do lenheiro; construção de casa para pernoite; construção de armazéns; instalação e reforço no abastecimento de água; construção de um armazém de alvenaria; construção, remodelação e acréscimo da estação; construção de cobertura entre o armazém existente/projetado e a plataforma; construção de edifício para posto médico; construção de subestação; construção de uma balança para pesar vagões; construção de casa para mestre de linha; reparação nas casas números 14, 28, 32, 46; limpeza das casas números 10, 11, 17, 24, 29, 32; reparação no escritório do chefe do Depósito; reparação do telhado do Depósito de locomotivas; confecção de duas guaritas de madeiras para guarda-chaves; reparação da casa do feitor da turma 29; reparação nas casas da tração; reparação nos encanamentos das casas números 15, 21, 22, 24.

Juntamente com essas obras e o intenso movimento de trens, houve a necessidade de se modificar o pátio e construir novos desvios. Dessa forma, uma segunda cabine foi instalada com o objetivo de aumentar a segurança do local. A cabine 2 bloqueava o pátio novo, no sentido de Itararé, e foi inaugurada em 16 de junho de 1936. A cabine anterior já funcionava desde 30 de julho de 1934, sendo apenas reparada e pintada durante a realização dessas melhorias.

 

A devoção também cresceu

Com o desenvolvimento do povoado, a devoção ao santo padroeiro também aumentou. Durante anos, nas procissões de Santo Antonio, os trens paravam enquanto os devotos atravessavam a estação e o pátio levando os andores. A estação também era uma espécie de ponto de encontro, pois não existiam outros lugares para se divertir.

Romeu de Campos lembra que ali era a praça de Santo Antonio. “As moças tinham o costume de ver o trem passar, na expectativa de encontrarem os futuros namorados e maridos”. Augusto Rodrigues Filho, ex-ferroviário, confirma a história. “As pessoas iam até a estação, porque como em Iperó acontecia a baldeação para Tatuí, o trem demorava mais. O cinema era próximo e antes de começar o filme ficávamos paquerando”.

 

Santo Antonio continua na placa

No fim de 1943, quando houve a mudança do nome de Santo Antonio para Iperó, a Sorocabana não mudou imediatamente o nome da estação. Uma comissão geográfica descobriu a existência de outra Santo Antonio e havia um decreto federal que proibia a existência de duas localidades com o mesmo nome. Mesmo sendo oficializado o nome Iperó, a estação continuou sendo “Santo Antonio”.

Somente a partir de 5 de julho de 1949 (mais de cinco anos depois) houve a alteração do nome da estação. Mas a placa com o nome “SANTO ANTONIO” continua até hoje na entrada do saguão da antiga bilheteria. Muitas histórias daquela época permanecem vivas nas lembranças dos moradores.