O ferro encontrado em Ipanema

Borra de ferro de antiga fundição encontrada no leito do ribeirão do Ferro. (Gilson Sanches)

Quando falamos sobre a riqueza, a Real Fábrica de Ferro de São João do Ipanema foi um verdadeiro “eldorado”, ainda que tenha enfrentado problemas em algumas das suas administrações. A natureza colocou em Ipanema, segundo pesquisas realizadas ainda no século XIX, “o minério mais rico do mundo com aproximadamente 72% de ferro”.

Frederico Guilherme de Varnhagen, ao referir-se às montanhas que a fábrica explorava, escreveu: “Este grupo de montanhas tem cerca de 3 léguas de comprimento e proporcionada largura. O trecho do morro é de granito e, de norte a sul, no sentido longitudinal, é cortado por três grossos veios de ferro. O mineral solto à superfície do morro é tão rico, que dele se poderia, por mais de cem anos, alimentar a maior fábrica do mundo sem recorrer a trabalho algum de mineração”.

O ferro de Ipanema, confrontado com o dos Estados Unidos, inclusive levaria vantagem. Na Exposição Industrial realizada no Rio de Janeiro em 1881, foram expostas rodas de vagões da Estrada de Ferro Dom Pedro II construídas com ferros das duas origens. Ficou provada, naquele evento, a superioridade das rodas de ferro fundido resfriadas na fábrica de Ipanema.