Quem somos

Iperó e o morro Araçoiaba ao fundo
Vista de Iperó a partir de Boituva. (José Roberto Moraga Ramos)

Resgate e preservação da história do município

Entendemos que relembrar os acontecimentos do passado de uma cidade como Iperó ajuda a fortalecer o sentido de ‘pertencimento’ dos moradores ao local. A memória é a presença do passado e a história dá vida à memória.

Ainda há bastante trabalho a ser feito, mas não podíamos continuar vendo a história se perder. Muito material desapareceu ou foi destruído no decorrer dos anos. Grande parte dos antigos moradores já morreu. Por isso, o resgate histórico conquista ainda mais importância: é não permitir o desaparecimento das nossas origens e nem o esquecimento de tantos fatos relevantes para a cidade.

Não existe sociedade sem história. E no caso de Iperó, são mais de 500 anos de registros históricos.

– Iperó dos nativos e integrada às trilhas da Peabiru (antes do século XVI)
– Iperó berço da siderurgia americana e do desenvolvimento do Brasil (século XVI)
– Iperó rota dos bandeirantes e dos tropeiros (séculos XVII e XVIII)
– Iperó da Real Fábrica de Ferro (século XIX)
– Iperó da ferrovia ligando São Paulo ao oeste e ao sul (séculos XIX e XX)
– Iperó da Floresta Nacional de Ipanema, Centro Experimental Aramar, Reator Multipropósito Brasileiro, indústrias, comércio e agricultura (século XXI)

O espírito do progresso sempre pairou por essas terras e a nossa história está intimamente ligada às origens da região de Sorocaba e do Brasil.

A você que visita o site fica o convite para que deixe uma mensagem no livro de visitas e escreva as suas lembranças vividas em Iperó.

Um grande abraço,

Hugo Augusto Rodrigues